Uma rápida olhada no surpreendente Apple Music

É fato que uma parcela de heavy users tem uma certa birra com a Apple. E isso é normal, afinal. No entanto, as vezes essa birra acaba fazendo com que as pessoas não queiram conhecer os outros produtos dela, ou de qualquer outra empresa que esteja nessa mesma situação.

Eu não tenho muito esse problema, já que eu sou apenas um entusiasta de tecnologia, tudo que é lançado, quero testar. Mesmo que eu tenha que ser um early adopter. Até porquê, para que algo seja aprimorado, alguém tem que ser o beta tester. Infelizmente, como comecei este humilde blog recentemente, tenho que me contentar em apenas testar coisas por um breve período de tempo em lojas, mas quando se trata de serviços, a coisa fica mais fácil.

Apple Music

Eu assinei o Apple Music há algumas semanas, e me surpreendi com o streaming. Quem me segue no Twitter, deve ter visto que eu já falei algumas vezes que pro meu uso, um streaming de músicas seria inútil, já que consumo OSTs de animes. Mas, eu também curto músicas mais comuns, e um ou outro funk. Então resolvi testar o Apple Music por um único motivo: a Apple dá três meses de teste, muito mais que o suficiente para decidir se quer continuar ou não com o serviço.

Videoclipes no Apple Music

A primeira coisa que me chamou a atenção, é que a Apple chutou o pau da barraca, e permitiu o acréscimo de músicas com conteúdo explícito, e nós sabemos como ela é soviética quando o assunto é conteúdo.

Mas, se ela quer mesmo se tornar uma empresa de serviços, ela precisa afrouxar mais suas regras de conteúdo, ou ela será engolida pela concorrência que já está aí há muito mais tempo.

Outra coisa legal do Apple Music, é que ela têm os clips oficiais de várias músicas, algo que, se não me falha a memória, só o Deezer e o Tidal oferecem. O Tidal, aliás, tem outro chamariz que é o streaming de conteúdo high quality, o .FLAC. A Apple tem o .ALAC, então poderia oferecer esse conteúdo também (não que faça diferença para 99% das pessoas).

O preço do Apple Music também me chamou a atenção: R$ 16,90 (ou US$ 9,99 para os americanos) no individual, R$ 24,90 (US$ 14,99) no Família e R$ 8,90 (US$ 4,99) no estudante. É um preço absolutamente competitivo, ainda mais se pensar que é um produto com o selo Apple. Mas novamente: se ela quer se consolidar como uma empresa que também oferece serviços, ela precisa fazer isso dentro da realidade, ou as pessoas não se interessariam.

Minha playlist

Sobre a disponibilidade de conteúdo, tive zero problemas. Qualquer música, nova ou antiga, que eu procurei lá no Apple Music, estava lá. Mas tive problemas com os títulos das músicas: Manhãs de Setembro, da Vanusa, tocava outra música dela. E os títulos do álbum ao vivo do Cauby Peixoto estavam bugados, mas nada que um feedback não possa resolver.

Álbum ao vivo do Cauby Peixoto com alguns títulos bugados

Eu estou usando o Apple Music no meu tablet Android. Não sei como é no iOS, mas a experiência nele é bem lenta em certos momentos. Eu senti um leve problema de carregamento no iTunes do Windows também, mas não sei dizer se o problema era a conexão ou se era problema do app do Android e o iTunes continua aquela carroça habitual.

O Apple Music tem quase tudo o que os outros serviços têm: embora o Apple Music Brasil não tenha as OSTs dos animes (certamente relegadas ao Apple Music Japan), o @filipekids me mostrou que é possível usar o iTunes Match para subir os .MP3s para a nuvem, e ouvir no Music, igual o Spotify e o Deezer.

A única coisa que parece não ter no Apple Music em relação aos seus principais concorrentes, é a possibilidade de ouvir podcasts. O que é desconcertante, já que a Apple tem podcasts no iTunes, e os principais concorrentes permitem ouvi-los.

Cadê os podcasts?

Fora esses detalhes, o Apple Music é sim uma boa alternativa ou um serviço backup para usar. O preço é excelente, o acervo (no meu caso) é pleno e em breve será possível acessar através do Google Assistente e da vindoura Alexa BR.

Você terá 3 meses para testar o serviço, então não vai custar literalmente nada dar uma bizoiada, né? 😉

Bom, a não ser que você seja burro como um certo idiota analfabeto que fui fazer graça e deu caca.

https://twitter.com/Wardz_de_souzA/status/1132375836152279041

Publicado por Ward'z de Souza

Ator, apresentador, geek, locutor, colunista DRT 0050804/SP Um dos 7 bilhões de experts em fotografia ;·) Anime, mangá, 📺, 📻, cultura do 🇯🇵🇬🇷🇮🇹 🌏.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: